'Mais de R$ 500 milhões foram sonegados', diz delegada de operação que mira em gigantes do forró

Aviões do Forró dizem estar 'à disposição da Polícia Federal e da Justiça'

Por: O Globo
18/10/2016 07:29

RIO – Apesar de não acusar nominalmente o grupo Aviões do Forró e a produtora A3 Entretenimento, Dora Lúcia Oliveira de Souza, delegada de polícia federal no Ceará responsável pela operação For All, também não nega que os músicos e empresários sejam o alvo da operação deflagrada na manhã desta terça-feira. Segundo ela, "um grupo muito forte que atua no ramo do entretenimento no estado do Ceará e no nossos país" está envolvido num grande esquema de sonegação fiscal e lavagem de dinheiro. De acordo com informações do G1, Solange Almeida e Xand, vocalistas do Aviões do Forró, prestam depoimento à PF. Veja também Solange e Xand, da banda Aviões do ForróPolícia Federal deflagra operação mirando no grupo Aviões do Forró Jennifer Lopez e Roberto Carlos em gravaçãoRoberto Carlos e Jennifer Lopez posam para foto após gravação Betty Faria em entrevista no "Programa com Bial"Em entrevista, Betty Faria diz sofrer de doença autoimune e admite usar maconha Tônia Carrero atuou em 54 espetáculos, 19 filmes e 15 novelas: trajetória profissional marcada por grandes sucessos Aos 94 anos, Tônia Carrero recebe alta após internação por pneumonia — Essa investigação vem acontecendo há dois anos, em parceria com a Receita Federal, e teve início pelas incongruências encontradas no imposto de renda de pessoas físicas e jurídicas do ramo do entretenimento — explica Dora Lúcia, em entrevista ao GLOBO. Segundo a delegada, os valores informados dos cachês dos shows das bandas envolvidas no caso, bem como a quantidade de shows, eram bem menores que os praticados. — Confirmamos isso através da agenda de shows das bandas, informações disponíveis ao público. Quanto aos cachês, de acordo com informações publicadas no Diário Oficial, obrigatórias quando essas bandas são contratadas por órgão públicos, constatou-se que nem 30% do valor recebido era declarado. As investigações preliminares da Polícia Federal apontam um prejuízo aos cofres públicos de R$ 121 milhões entre os anos de 2012 e 2014: ‘Constatou-se que nem 30% do cachê dessas bandas era declarado’ - Dora Lúcia Oliveira de Souza Delegada da Polícia Federal — Isso só em shows. Excluem-se desse valor as vendas de CDs, cotas de patrocínio e ganhos com publicidade, entre outros. Contando com todas as bandas e empresas que fazem parte do grupo, foram sonegados R$ 500 milhões. Procurada pelo GLOBO, a banda Aviões do Forró se pronunciou por meio de comunicado oficial: "A Banda Aviões do Forró informa que está à disposição da Polícia Federal e da Justiça e que colaborará com todos os questionamentos em relação à operação". Na noite desta terça-feira, a banda se apresenta em Floriano, no Piauí, e a agenda de shows segue inalterada.



O Globo

O comentário não representa a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.